MINIMA AZORICA. O MEU MUNDO É DESTE REINO

Capa_Onesimo_REV5MINIMA AZORICA. O MEU MUNDO É DESTE REINO, Onésimo Teotónio Almeida

Edição 045 | colecção transeatlântico 012 | série especial 001

1ª edição (Novembro de 2014 – 500 exemplares)

ISBN: 978-989-8592-51-4

Formato: 14×22 cm

Páginas: 232

PVP: 15 euros.

EXCERTO

O título e subtítulo deste volume vivem há muitos anos à espera. A reunião dos principais textos açóricos escritos ao longo de vinte anos (1994-2014), conforme as circunstâncias de uma vida aos pedaços repartida, seria a maneira de salvá-los do esquecimento total, uma vez recuperados entre as capas de um livro. Mas essa era apenas uma ideia remetida para as calendas gregas do futuro, da eterna espera do tempo que há-de vir e se esvai sempre, triturado em parte a escrever mais um ensaio e outro e outro para aqui e para ali. Não fora o convite do Carlos Alberto Machado da Companhia das Ilhas a desafiar-me, e eu não teria consumido alguns de outro modo gostosos dias de férias entre a Marisol e a Fonte da Telha (nos Açores seria impossível estragar o tempo da ilha em volatilidades destas) na revisão deles.
Os autores feitos tema destes textos estão todos mortos, todavia são ainda-vivos. Fazem parte do cânone literário e do imaginário açórico. E foi essa, por facilidade, a linha demarcatória da minha recolha. De fora ficaram muitos outros textos sobre autores ainda no meio de nós, vivos e intervenientes, oxalá que por muitos anos. Tal como já fizera na peça No Seio Desse Amargo Mar, em que pus à conversa na Casa dos Açores da Atlântida figuras tutelares da história cultural açoriana, também aqui só convivo com os mortos (convém, porém, notar que várias das personagens da peça desapareceram do meio de nós depois da sua publicação).

Anúncios
%d bloggers like this: