A PORTA FECHOU-SE A CASA ERA PEQUENA

Capa Ric-Neves-Neves-Aporta-REV2A PORTA FECHOU-SE A CASA ERA PEQUENA, de Ricardo Neves-Neves

colecção azulcobalto | teatro 004

56 páginas | ISBN 978-989-8592-33-0 | 1ª edição – Setembro de 2013 |  2ª edição – Setembro de 2013 | PVP: 6,95 euros

EXCERTO

Como não tem campainha?
Uma porta sem campainha é uma porta nua.
Não há um sonzinho,
uma musiquinha,
absolutamente nada?
É que bater à porta já não se usa.
Nos tempos que correm,
e sinto-me no dever de dar o exemplo,
pelo menos à geração mais nova,
nos tempos que correm
porta minha não é batida.
Porta minha não aceita pancada.
Assim como hei-de saber
se tenho alguém do outro lado a querer entrar
ou simplesmente a querer a porta aberta?

RECEPÇÃO CRÍTICA / LEITURAS

A porta fechou-se e a casa era pequena, de Ricardo Neves-Neves, merecia ser lida a par com O problema da habitação, de Ruy Belo, num diálogo que assume o espaço doméstico como centro organizador de cada vida e que parte desse espaço para reconhecer o mundo, questionando-o. Pode reconhecer-se neste texto o manancial de pequenos de pequenos dramas contemporâneos relativamente à habitação, do crédito ao preço por metro quadrado, mas é na relação casa com o mundo que se encontram as linhas de leitura mais profícuas.

Sara Figueiredo Costa, revista Sinais de Cena, nº 20, Dezembro de 2013, pág. 120.
Anúncios
%d bloggers like this: